Chatbot no atendimento interno
Cresce o uso de robôs de chat e voz para tirar dúvidas dos colaboradores 06/12/2018 12:23
» Mateus Azevedo
A Bluelab registrou crescimento, esse ano, de 85% na procura por chatbots para automatizar o atendimento interno à colaboradores, em comparação com 2017. Além de reduzir custos, as companhias enxergam na implantação dos robôs uma oportunidade de valorizar o trabalho humano. "O robô vem para suprir uma demanda por tarefas consideradas repetitivas e robóticas de forma humanizada. Parece controverso, mas quando fazemos uma tarefa no automático ela fica totalmente impessoal. Desumano é alguém fazer esse tipo de trabalho, as pessoas têm que realizar tarefas que exigem criatividade e raciocínio lógico", comenta Mateus Azevedo, sócio da Bluelab.

Um exemplo é a Mia, robô implementado recentemente para a Mercedes-Benz, que já realiza, em média, 2,5 mil conversas com os colaboradores, com índice de resolução de aproximadamente 85%. O bot está instalado em todas as máquinas e também pode ser acessado remotamente, quando o colaborador está em viagem, por exemplo. A ideia é que o robô, que hoje atende questões relacionadas a TI, passe por evoluções e abranja outras áreas da empresa em breve. "Na verdade, a Mia já passa por mudanças constantes. Sempre que surge uma pergunta para a qual o robô ainda não tem resposta, nossa equipe coleta esse dado e analisa, junto com a Mercedes, a melhor forma de incluí-la no bot."

Também em 2018, a Bluelab desenvolveu e implantou o robô de atendimento para uso interno da construtora Gafisa. Segundo o executivo, não existe uma quantidade mínima de colaboradores para se estabelecer a necessidade de implantação de um robô para atendimento interno, mas na quantidade de horas que as equipes gastam com respostas que são facilmente automatizáveis. "A utilização de plataformas de automação é uma tendência em todo o mundo e o Brasil é um mercado com um potencial de crescimento muito diferenciado. As empresas já estão atentas a todos os benefícios dessa solução, tanto para o atendimento externo, como mais agilidade, eficiência e maior produtividade, quanto para resolver questões do dia a dia de seus profissionais", finaliza Azevedo.

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
 
http://callcenter.inf.br/