| Segunda-Feira - 24/4/2017
Pesquisar: busca:
Um quadro mais igualitário
Mercado ganha com reconhecimento e valorização das capacidades profissionais das mulheres 09/03/2017 11:18
» Raíza e Verena
Ainda que exista um longo caminho a ser construído para a equidade de gênero no mercado de trabalho, é inegável as conquistas das mulheres a cada ano. Com competência e muito trabalho, elas estão mostrando que o lugar delas é onde elas quiserem. "O papel da mulher mudou muito nos últimos tempos e cada vez mais as mulheres estão mais inseridas no mercado de trabalho, buscando maior igualdade de condições, mesmo em áreas antes dominadas por homens", comenta Verena Belvedere, gerente de RH da Sykes, acrescentando que essa é uma luta constante, e antes de tudo deve-se prezar pela ética e o pelo respeito.  "A igualdade de gênero no mercado de trabalho deve ser pleiteada no dia a dia, com profissionalismo e confiança de que todos juntos podemos construir um mercado de trabalho mais igualitário."

Essa transformação foi motivada, segundo a executiva, pelo maior reconhecimento e valorização do mercado em relação as capacidades profissionais das mulheres. Tanto que além do aumento da força de trabalho, ela destaca, como vantagem de se ter mais mulheres no mercado, o olhar mais humano para solucionar problemas e para guiar decisões. Qualidades essas que se encaixam perfeitamente com a área de call center. Não à toa, esse mercado conta com muitas mulheres. "As atividades dentro de um call center exigem habilidades de comunicação, atenção e ser multitarefas, esta última,  algo que é nato nas mulheres", pontua. Além disso, Verena lembra que é cada vez comum o trabalho remoto na indústria de call center, o que também é um grande atrativo para as mulheres que buscam maior flexibilidade na rotina de trabalho.   

Outro ponto importante do setor que atrai as mulheres é a oportunidade de desenvolvimento profissional, como conta Raíza Acosta, operadora da Sykes. "Poder fazer parte de um call center agrega positivamente na vida profissional e pessoal, começando com as oportunidades de crescimento." Ela comenta que há programas de carreiras, cursos de línguas e workshop para que a profissional torne-se uma líder, com capacidade de gerenciamento e desenvolvimento de pessoas. "Penso que trabalhar nesta área não é simplesmente um trabalho qualquer. Poder desenvolver pessoas para seu dia a dia de trabalho e ver seu crescimento profissional e pessoal é uma recompensa impagável, sem dúvidas é uma arte e aprendizado diário." A operadora pensa, inclusive, em seguir na área e qualificar-me cada vez mais, para que possa se tornar uma grande líder, para desenvolver e gerir uma equipe de sucesso. "Fazer parte do Call Center é gratificante, motivador e desafiante", completa.

Sobre a presença da mulher no mercado de trabalho, Raíza também reforça que a presença feminina em grandes organizações vem quebrando paradigmas, "sua inserção é uma vitória milenar e praticamente diária". "Hoje, em pleno século XXI embora o mercado de trabalho não esteja suficiente equiparado, as mulheres alcançaram grandes conquistas. Inclusive em muitas empresas o cenário atual de oportunidades profissionais e desenvolvimento são altamente atrativos para o público em geral, o espaço feminino vem sendo conquistado quantitativa e qualitativa", acrescenta.

Esse é o caso da própria Sykes, que tem 40% do quadro de colaboradores formado por mulheres. Por conta disso, a empresa comemorou o Dia Internacional da Mulher, com diversas ações. Entre elas um lounge onde os parceiros de saúde da empresa junto com enfermeiras estarão tirando dúvidas sobre cuidados na saúde da mulher. "Nossas colaboradoras poderão aprender a fazer o teste do toque que funciona como prevenção ao câncer de mama e tirar dúvidas sobre saúde", conta Verena.

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
 
http://callcenter.inf.br/