Ano da virada? | 1ª Parte
Entre instabilidade econômica e necessidade de se reinventar, outsourcers fazem uma reflexão sobre 2017 16/12/2017 12:02
Para alguns pode soar estranho o título dessa matéria, afinal o ano não foi tão bom assim para todos. O mercado continuou sentindo os efeitos da crise econômica e politica que atingiu o Brasil nos últimos anos, principalmente no primeiro semestre, o que prejudicou os resultados de muitas empresas. Porém, ainda assim, anota aí: 2017 pode ficar marcado sim como o ano que o mercado brasileiro de contact center iniciou uma nova fase.

Isso não significa que a transformação da atividade tenha começado agora. Pelo contrário. Ela já vem ocorrendo há alguns anos. Porém, em 2017 o impacto das mudanças do mercado de consumo, principalmente por conta das evoluções tecnológica, foi maior e mais evidente. Basta olhar para o processo de automatização do atendimento com os chatbots. Se há pouco tempo era apontado como tendência, hoje é uma realidade. E quem pensar o contrário, certamente ficará para trás, como já podemos ver acontecer com algumas empresas tradicionais. Ou seja, chegou a hora de realmente se reinventar e inovar.

Por isso, 2017 pode ser visto como o ano da virada. Com certeza, muita coisa ainda há de vir, mas a transformação que tanto já se fala nos últimos tempos ganhou forma mais nítida, como deixam claro as entrevistas exclusivas realizadas pelo portal Callcenter.inf.br com os principais outsourcers. Mais do que uma avaliação do que aconteceu em 2017, os especialistas detalham esse processo de reestruturação, além de revelarem como foi o ano para suas empresas.

Confira o que falaram os executivos:

Crise vai ficando para trás
Com mercado se reaquecendo, Flex projeta repetir crescimento de dois dígitos dos últimos anos


Com transformação em curso, 2017 serviu para direcionar rumos do processo de reinvenção


Com consumo retraído, CSU Contact foca em operações de maior complexidade para crescer


Alinhada à demanda, Neobpo aposta em plataforma digital preditiva e cognitiva



Orbitall registra crescimento de 80% ao encarar transformação da atividade como oportunidade


Callink aposta na busca por inovação para garantir a qualidade e superar as expectativas


Sercom vê como diferencial a união entre cognitividade e trabalho humano especializado


Uranet aumenta carteira de serviços e conquista novas contas ao antecipar demandas


Se a crise ainda atrapalhou, as tecnologias inteligentes vieram para contribuir no atendimento



Veja também a outra parte do especial:

Com crise já ficando para trás, outsourcers direcionam esforços na reestruturação dos negócios para acompanhar transformações do mercado

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
 
http://callcenter.inf.br/