Empresa como agente transformador
Jovens estão ávidos para se sentir úteis, capazes, ouvidos e reconhecidos 14/06/2018 10:03
» Denise Alencar
Autora: Denise Alencar

É possível uma empresa atuar como agente transformador na vida das pessoas? Como será que as pessoas conseguem conquistar o mundo? E sair do seu núcleo familiar para a presidência de uma empresa?

Sim, isso pode acontecer por meio da educação e da profissionalização. Ninguém nasce sabendo. Quando crianças, nossos pais ou responsáveis nos ensinam tudo o que precisamos para nos sentir seguros, confiantes e conviver em sociedade.

Depois, crescemos e de certa forma ganhamos o mundo, um mundo restrito a casa e escola. Necessitamos ser cidadãos, consumidores e independentes financeiramente, mesmo que seja apenas não ter de pedir dinheiro aos pais para comprar um lanche, e nos aventurar no mundo do trabalho. E como conseguir emprego se não temos experiências profissionais?

Por meio da Lei da Aprendizagem, nº 10.097/2000, a empresa ensina um ofício e ainda dá oportunidade de ganhar dinheiro enquanto se aprende, garantindo um mundo transformado, com valores e princípios lapidados. Os jovens estão ávidos para se sentir úteis, capazes, ouvidos e reconhecidos. As organizações que empregam aprendizes possibilitam isso.

Essa ação conjunta entre a empresa e a educação profissional, proporciona ao jovem aprendiz a realização de um sonho, uma vez que trabalha todos os aspectos organizacional e biopsicossocial do ser humano, como a vivência do conteúdo aprendido no dia a dia, quer seja no trabalho, quer seja na rotina cotidiana.

Diante desse cenário, os jovens têm a oportunidade de aplicar todo o conhecimento adquirido e desenvolvido em suas vidas, de conquistar seus sonhos de forma rápida e eficaz, pois o tempo todo exercitam sua mente e mudam seu comportamento, destacam-se como jovens profissionais empreendedores, de atitude, mostrando que pelo respeito a si mesmo e ao próximo podem transformar o mundo.

Se é possível uma empresa atuar como agente transformador na vida das pessoas? É, sim, uma vez que as empresas são organismos vivos e mutáveis, feitos e frequentados por pessoas que sentem, sonham e realizam.

"Seja você a mudança que quer ver no mundo", Gandhi.

Denise Alencar é advogada, consultora e docente do Senac São Paulo nas áreas de gestão de pessoas, administração e aprendizagem, e coach especializada em crianças, adolescentes, pais e professores.

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
 
http://callcenter.inf.br/