| Terça-Feira - 21/11/2017
Pesquisar: busca:
A sua melhor opção
A nova geração das mães profissionais
Hoje, se bem direcionada, maternidade pode ser um aprendizado que só a vida real dá 10/05/2017 02:08
» Juliana Albanez
Autor: Juliana Albanez

Sem dúvida, ser mãe é um dos momentos mais incríveis da vida de uma mulher. Acarinhar um filho nos braços pela primeira vez e sentir sua pulsação são momentos que levamos para sempre na memória. O cheiro, o clima, os olhos e a conexão que estabelecemos é um dos segredos da vida. É a vida olhando para o mundo.

Porém, ser mãe está longe de apenas embalar os filhos nos braços. É um desafio em um mundo mutante e com novas exigências. No trabalho, em casa e como identidade feminina, somos muito mais cobradas. Nem tudo são flores. Mas longe de tudo ser ruim.

Vivemos em uma época de inúmeras vantagens, isso é um fato. Hoje podemos escolher a hora de ser mãe, consolidar uma carreira primeiro, podemos decidir quantos filhos queremos e estes nascem mais saudáveis. É, de fato, uma boa notícia.

Mas hoje os problemas são outros e a nossa identidade é só uma delas. O mundo nos exigiu outros papéis. Temos que ser mães, mulheres, filhas, profissionais de sucesso. Temos que ser espelho no trabalho, mães equilibradas e conscientes. Já como mulher, devemos estar sempre prontas para o biquíni na praia. Como mãe, vivemos a era dos extremos, de um lado a tecnologia a mão de nossos filhos cada vez mais cedo, e de outro, muitas mães não têm acesso a creches, a opção de escolha de parto ou de melhores condições de trabalho.

Nesse cenário vimos recortes de uma mãe, muitas vezes no escuro, sem saber o que fazer diante de todas as emoções que batem em seu coração ao gerar outra vida.

O som da maternidade não é musiquinha de ninar e o tom da maternidade não é pastel. As vezes é intenso, cítrico, iluminado, negro ou então nos vimos num quadro pós moderno com todas as cores juntas, em um mix de sensações, uma experiência mágica e desorganizadora.

Hoje temos acesso a muito mais informações, novos laços familiares, novas constituições de família e de maternidade e um caminho bem próximo à tecnologia. Mas isso não diminui nossas dúvidas e incertezas.

O mundo em que vivemos nos divide em muitos papéis. Mas as vantagens disso tudo é que o mundo corporativo nunca olhou tanto para este perfil profissional como hoje. Como mães, exercitamos diversas funções, aprendemos a negociar, a esperar, a exercitar uma liderança mais colaborativa, a dividir e entender que às vezes não conseguimos tudo sozinha, que a equipe é peça-chave para que tudo dê certo, seja em casa, nas tarefas maternas - com berçários, babás e família - ou em uma empresa, com liderados e lideranças. Ambos só funcionam se forem verdadeiros times.

Se durante muito tempo a maternidade era uma fraqueza no trabalho, hoje, se bem direcionada, pode ser uma fortaleza, um aprendizado que só a vida real pode lhe dar.

Porém, equilibrar tudo isso é um desafio. É trabalhar todos os dias com diversas emoções e mudar o nosso olhar. Somos imprescindíveis para um mundo tão raivoso que estamos vivendo (onde até amamentar em público pode ser um problema).  Nunca fomos tão necessárias ao mundo. 

Mães dão o tom por onde passam, seja em casa, no trabalho ou no ambiente em que vivemos. Podemos aprender muito com a maternidade e levar isso para onde estamos. Um olhar sábio, motivador e iluminado que a maternidade nos convida a viver.

Feliz dia das mães!

Juliana Albanez é Personal & Professional Coach, palestrante e jornalista. Especialista em comportamento, liderança feminina, gestão pública e comunicação.

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
 
http://callcenter.inf.br/